capa_nietzscheSobre a Obra:

VOVÓ LEU NIETZSCHE – Para se recuperar do tédio na convalescença depois de um infarto que resultou em três pontes de safena  e uma mamaria,  o escritor Antonio Stélio Produziu este livro, que é o sétimo de sua produção literária. Aqui o autor leva o leitor por um passeio pelos chamados ditados populares tão a gosto de citações desde os tempos de nossas vovozinhas, e que de alguma maneira tenta ser aforismos na boca do povo. Neste livro o leitor vai se encontrar em esquinas que já conhece, mas vai se surpreender com o novo ornato que o autor dá a elas interpretando aquilo que julga ser um ponto de vista nietzschiano. Quem vê cara não vê coração, antes só do que mal acompanhado, o que não me mata me fortalece, eles que são brancos que se entendam, o pior cego é aquele que não quer ver, quem canta seus males espanta e em boca fechada não entra mosquito são, exemplos, alguns dos ditos aqui analisados por meio de Crônicas sob o foco do filosofo alemão, no qual o autor se inspira. Para Antônio Stélio, “trata- se uma leitura amena própria para cabeceira da cama ou qualquer oportunidade de descontração, sem mais preocupações”.

Vovó Leu Nietzsche