capa_vilanovaSobre a Obra:

VILANÔVA – Na segunda metade do século passado, na década de 1960, tendo assegurado seu desenvolvimento econômico, a União Soviética enviou, através da mídia, convite aos estudantes de países na época classificados como subdesenvolvidos (latinoamericanos, africanos e asiáticos) para lá se dirigirem a fim de receber formação acadêmica. O oferecimento representou uma ajuda humanitária, sobretudo para jovens pobres, com dificuldades para conciliar trabalho e estudo, entre os quais a luta pela sobrevivência cerceava amiúde a aspiração de cursar a universidade. Essa experiência de habitar por alguns anos um país estrangeiro com características ímpares, e que terá impressionado de modo variado os bolsistas, reflete-se na maior parte dos contos de “Vilânova”, formando o seu pano de fundo. Mas “Vilânova” são também narrativas de conteúdo social (“Zerô!”, “O homem nasceu para a felicidade”), do universo infantil (“História de Susy”, “O homem do saco”), psicológicas (“O vestido azul”, “Antes que venha o sono”), fantásticas (“A procissão”, “A sessão de cinema”), do noticiário hodierno (“Brutalidade”), fixadas em cenários de várias regiões brasileiras.

Sobre o Autor:

M. C. Jorge nasceu na pequena cidade de Nova Lima, próximo a Belo Horizonte, Minas Gerais. Deixou a cidade aos oito anos de idade, transferindose a família para Belo Horizonte, para que as crianças se educassem. Ali fez em escolas públicas o primário e o secundário, passando a trabalhar durante o dia enquanto estudava à noite no curso colegial. Foi quando lhe concederam, em 1963, uma bolsa para estudar na extinta União Soviética. Diplomou-se em Filologia, regressando ao Brasil no ano de 1968. Residiu no Rio de Janeiro e em Porto Alegre – RS, voltando, após longos anos, para Belo Horizonte, onde mora atualmente. Desde seu regresso ao Brasil tem se ocupado de tradução e ensino da língua russa.

Vilanôva