capa_parabens_para_ninguemSobre a Obra:

PARABÉNS PRA NINGUÉM – A história se passa na década de 1960, num período de vinte e quatro horas, tendo como cenário um bairro do subúrbio da cidade do Rio de Janeiro onde vivem em um cortiço os personagens, que, por coincidência, possuem nomes bíblicos, exceto um deles, alcunhado “Judas”. O ambiente promíscuo propicia os conflitos no dia a dia onde todos apresentam nuances de comportamento próprio das pessoas socialmente excluídas. O fio condutor de Parabéns para ninguém é a comemoração do aniversário do primeiro ano de vida de Tiaguinho, filho de Maria, companheira de Tiago, que não chega a se concretizar em virtude de uma série de fatos que envolvem os personagens crus e sem privilégios. Na composição dos personagens o autor procurou traçar um tênue perfil de pessoas comuns e desprovidas de valores, sem caracterizá-las fisicamente para deixar que aos poucos a imaginação dos leitores lhes desse forma. Quanto ao aspecto psicológico, misturou emoções e reações num embate contínuo de sentimentos aflorados, desprovidos de moralidade e alinhavados num ir e vir de lembranças para definir os comportamentos. Inconscientes e inconstantes, os personagens transmitem erroneamente a ideia de que os fins justificam os meios, ao mesmo tempo em que condenam essa ideia, possibilitando a discussão do que é certo ou errado nas relações humanas na busca da redenção. Os ingredientes básicos tirados da realidade para a ficção não absolvem com louvores nem penalizam com crueldade os personagens, posto que o Bem e o Mal fazem parte da Vida.

Sobre o Autor:

Jorge Horsae, funcionário público estadual, nasceu na cidade de Miracema, no noroeste do estado do Rio de Janeiro, em 16 de julho de 1947. É casado, pai de duas filhas e avô de Maria Clara e de João Miguel. Leitor nato, já participou de concursos literários e foi premiado com Menção Honrosa, Segundo e Primeiro lugares na Categoria “Contos”.

Parabéns para ninguém