capa_preteritoSobre a Obra:

O Pretérito Perfeito Composto no Português para Estrangeiros – Cada vez mais ensina-se e aprende-se o português no mundo. Esse boom da língua portuguesa acontece em consonância com o crescimento da respeitabilidade adquirida pelo Brasil no cenário político, econômico, comercial, artístico, cultural e científico num mundo globalizado. Consequentemente, é o português do Brasil que se faz desejado, procurado, quase necessário mesmo em certos setores. Ao mesmo tempo, e em números cada vez maiores e pelos mais variados motivos, estrangeiros chegam ao Brasil precisando aprender o português. São estudantes de intercâmbio internacional que vêm passar um ou dois semestres conosco visando a conquistar um espaço profissional mais favorável no futuro, estudantes regulares que vêm obter um diploma brasileiro de graduação ou de pós-graduação pensando em empregar-se em empresas transnacionais, profissionais expatriados, filhos de brasileiros retornando ao seu país de origem em virtude da nova escassez de trabalho em países tradicionalmente acolhedores, entre outros. É crescente, portanto, o número de instituições no mundo em que se passa a ensinar o português como língua estrangeira e, no Brasil, como segunda língua. Em países falantes de outras línguas, o português passa a figurar entre as línguas lecionadas nos departamentos de línguas modernas e de administração de empresas das universidades; cursos de extensão abertos à comunidade pipocam; grupos de interesse surgem em empresas, clubes culturais e até em igrejas; brasileiros sem nenhuma formação específica são procurados para aulas particulares. No Brasil, são as universidades, que precisam se aparelhar para bem receber estudantes e parceiros internacionais, que se apressam a criar turmas de Português para Estrangeiros; cursinhos até então especializados em inglês, francês e espanhol estendem sua área de atuação; pequenas empresas se especializam em atender os executivos em seus próprios escritórios; e, como não podia deixar de ser, cá como lá, brasileiros sem nenhuma formação específica são procurados para aulas particulares. Apesar de todo esse movimento, a área de Português como Segunda Língua ou como Língua Estrangeira ainda carece de pesquisa. Há poucos programas de pós-graduação em que essa área é contemplada com uma linha de pesquisa ou, ao menos, com um projeto específico. Na maioria das vezes, dissertações e teses sobre o tema encaixam-se de forma mais ou menos forçada em linhas mais abrangentes e não específicas, como Linguística Aplicada, Análise do Discurso, Língua Portuguesa ou Ensino do Português. Tem-se assim uma produção dispersa e, em geral, de difícil acesso. Dentre as poucas instituições em que há um foco bem claro nessa área, destaca-se a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, onde o Português como Segunda Língua para Estrangeiros (PL2E) desenvolve-se em todos os níveis de ensino.

O Pretérito Perfeito Composto no Português para Estrangeiros: Fronteiras com Outras Línguas