capa_o_dom_de_ser_paiSobre a Obra:

O DOM DE SER PAI – Antes mesmo do nascimento percebemos os laços que um filho cria conosco. Laços estes que serão indissolúveis! A sensibilidade que nasce juntamente com o afeto é também espiritual. As relações que unem um pai e um filho devem ser relações de simplicidade, amor e principalmente paternidade. Vejo que hoje, infelizmente, os homens estão perdendo cada vez mais o instinto paternal. Fruto de uma sociedade hedonista que procura o prazer a todo custo, o que não na mesma medida assumem responsabilidades. As famílias hoje sofrem um processo de desestruturação e perda de valores vitais para uma sociedade justa e solidária. Infelizmente a chamada cultura de morte anda se instalando em nossas famílias e em forma de cultura nossos filhos estão sendo anestesiados, alienados e sem personalidade crítica. Deve ser um ato eterno, divino, constante e belo. Dispor para seu filho é o mesmo que crescer junto com ele, e,  de pararmos para pensar, realmente crescemos junto com eles. Pois bem, o pai deve ser o equilíbrio da família assim como a santíssima trindade, existe o pai, o filho e o espírito santo. Na família também são importantes as presença do pai, mãe e filho.

Sobre o Autor:

Anderson Galvão Albuquerque nasceu na cidade de São Paulo em  28/04/1981, formado em Gestão em Logística Empresarial em 2008 (UNIBAN) e especializado em Técnicas de Chefia e Liderança (SENAC), católico coordenador de liturgia e catequista da comunidade Nossa Senhora das Graças (Paróquia Nossa Senhora do Carmo), atualmente trabalha como Gestor de Logística.

O Dom de Ser Pai