capa_a_matriarcaSobre a Obra:

A MATRIARCA QUE VOLTOU DO ALÉM – A obra “A MATRIARCA” é uma dessas, de origem brasileira, mesmo pautada em ficções, traz, um apanhado de informações verídicas dos longos cruzamentos de séculos desse país. Ela contempla riquezas e pobrezas de mutações entre o arcaico e, o contemporâneo. Sendo assim, uma estória para ser lida e observada nos seus objetivos, nos mínimos detalhes. De acordo com pesquisadores, nacional, problemas que levam vidas a sucessos ou insucessos. É viável que, enquanto eu, autora, pensava em histórias simplíssimas do cotidiano para completar o repertório da coletânea, também extravasava para elucidar rupturas de paradigmas e valores sociais, predeterminados dessa sociedade. Sendo fato, que as transformações vêm se processando aceleradamente anos a anos, não só no ângulo comportamental, mas em todos os blocos e contingências do planeta, é justo renovações. E, categoricamente, o livro “A MATRIARCA” aborda bem isso em seus temas relevantes; seca do nordeste, traição, separatismo, conquistas… Ou sejam, evoluções sofridas aqui.. Tenha certeza, ao escrevê-lo, gradativamente, a cada resumo, elevava o pensamento ao ledor, fonte de inspiração maior. Embora no colóquio você já estivesse entrado na resenha, é para você, LEITOR, a dedicatória final. Espero que goste.

Sobre o Autor:

Eufrasia Rodrigues Alves nasceu na cidade de governador Mangabeira/ Recôncavo  Baiano- BA, da década de 50, onde iniciou a formação educacional básica. Em 1972 casou- se e veio estabelecer- se na capital do Rio de Janeiro. Aqui fez o curso de formação de professores (Atual curso normal), estagiou em instituições da Rede estadual, lecionou durante 15 anos no ensino Fundamental pela rede Particular. Aposentou- se por motivos visuais. Ao melhorar voltou às salas de aula para mais conhecimento. Licenciada em pedagogia coordenou em uma ONG, durante dois anos, uma oficina de arte na Educação  Infantil. Atualmente, vive entre cursos de especialização e a extravasar o seu ego, expurgando suas idéias e seus aprendizados. Obras relevantes: Como “Venci a cegueira” (autobiográfica), e agora “A MATRIARCA” (ficcional). Obras participativas: “A bola da vez” na antologia/ Jogando com as palavras. Em lançamento “triste destino”, no livro/ “Cada dia uma poesia” e “Comediante cartunista”, no livro- antologia/ “De viagem pela palavra”. Todas pela editora Litteris.  Lemas principais: Escrever, escrever… Livros, ter condições de editar todos, ser conhecida publicamente.

A Matriarca