Capa - Clínica Psicanalística-novas abordagens - para IMPRESSÃO cópiaSobre a Obra:

A fala é a forma de câncer pela qual o ser humano é afligido. Ao ser quebrada, desmantelada, acaba por ser escrita, e é por intermédio da escrita que ela se decompõe ao se impor em uma deformação da qual permanece ambíguo saber se é caso de se livrar do parasita falador, ou ao contrário, de se deixar invadir pela polifonia da fala (LACAN, J. Seminário XXIII). A fala que é um “câncer”, é também a “cura”, quando viabilizada nos espaços individuais e coletivos – humaniza-os, abre novos circuitos desejantes e gera potência criadora.
Reunindo novos trabalhos psicanalíticos e de saúde mental, ressignifico minhas experiências profissionais e clínicas ao abordar: o sofrimento psíquico da escultora Camille Claudel; as novas perspectivas na psiquiatria, na psicanálise e nas políticas públicas em crack, álcool e outras drogas; o “talking cure”, ou a cura pela fala no setting do consultório e na abordagem hospitalar, e o sofrimento velado do trabalhador offshore. Com muita luta e poder transformador, a reforma psiquiatria pôde caminhar da desospitalização para a desinstitucionalização, proporcionando aos doentes mentais e aos usuários de drogas ganhos em autonomia, inclusão e reinserção social.
Na pós-modernidade, estamos diante do evitamento da dor e do sofrimento psíquico e as toxicomanias são os efeitos mais evidentes dos imperativos daquilo que devemos ser – corajosos, alegres, produtivos – uma promessa de reconciliação da finitude com a felicidade.
Poder suportar o quantum de sofrimento através dos efeitos terapêuticos da escuta analítica com suas intervenções e interlocuções possíveis, eis a nossa aposta. Convido todos a essa leitura!

A autora reuniu novos trabalhos psicanalíticos e de saúde mental, ressignificando suas experiências profissionais com atuais apontamentos clínicos.
“Quando percebi que com a psicanálise podia-se ir além do espaço do consultório, busquei novos lugares, até descobrir a possibilidade de perscrutar as estratégias do desejo em vários fenômenos da existência humana- nos grupos, nas massas, nos movimentos sociais e nos quadros clínicos. O diálogo entre a Psicanálise e outros campos do saber, abre para a transformação do cuidado em saúde mental. Um trabalho surpreendente que vai mudar a forma de viver a psicanálise”.
Camila Butinholli Rangel

Sobre o Autor:

Camila Butinholli Rangel é psicóloga formada pela UFRJ e psicanalista. Desenvolve seu trabalho em instituições públicas, privadas e em consultório particular, atuando também nas áreas de políticas públicas sobre drogas e em gestão de recursos humanos.

A Clínica Psicanalítica – Nova Abordagem