Há três opções para se publicar um livro:

  • Por uma editora prestadora de serviço
  • Por uma editora comercial
  • Por conta do próprio autor

Veja mais detalhes abaixo:

1) Editoras prestadoras de serviço

É aquela que vai receber o seu original e transformá-lo em um livro de qualidade para que ele tenha condições de disputar espaço num mercado altamente competitivo. É importante também não confundir editora com gráfica, uma vez que esta apenas imprime o livro que foi projetado e concebido pela editora. Fazendo um paralelo com uma construção: a editora é como o arquiteto, que projeta, desenha, planeja e acompanha a obra, a gráfica é o mestre de obra ou o pedreiro que executa o projeto. Os dois profissionais são essenciais à finalização da construção, mas cada um dentro da sua função. Há gráficas que, para aumentar o seu faturamento, se aventuram a editorar, mas, geralmente, o resultado é um desastre por absoluta falta de capacitação: um livro com capa de gosto duvidoso, cheio de erros e completamente fora dos padrões da tradição editorial. Publicar um livro é algo que requer experiência, cuidado e um bom senso estético.

Vantagens de uma editora prestadora de serviços

Uma boa editora de livros, prestadora de serviços, tem um trabalho mais personalizado, está mais atenta ao seu cliente e às suas ideias quanto à confecção da obra. Os prazos também são determinados pelo cliente, assim como o conteúdo do livro, por exemplo: fotos, ilustrações, se tudo será colorido ou em preto e branco. A única limitação à realização do trabalho são as suas possibilidades de pagamento e nunca a falta de disposição e de tempo do seu editor. Outra vantagem é que, se o cliente tem um trabalho importante, uma tese, por exemplo, que poderá contribuir para outras pesquisas e para o seu próprio currículo profissional mas que não parece viável economicamente para as editoras comerciais, quando a edição de um livro é bem-feita, o autor poderá ter seus créditos concedidos à publicação científica, além do prestígio que isso lhe dará. Este é um item em que temos trabalhado constantemente. A edição e publicação de livro, de forma independente, tem a vantagem de dar ao autor um retorno financeiro considerável, muito mais do que os 10% de uma edição comercial. Se você tem leitores em potencial, como muitos clientes, amigos, alunos, ouvintes, etc., a edição independente vale muito a pena. Para que você tenha uma ideia, dependendo de como faça o trabalho de lançamento – e nisso podemos orientá-lo, com a venda de 170 a 250 exemplares, você poderá ter o retorno do seu investimento. Na editora prestadora de serviços quem escolhe sobre a publicação do livro é o autor, e não o contrário. Por isso, você não precisa esperar anos pela decisão de uma editora comercial para publicar o seu livro, nem passar pela desagradável situação, ou pelo constrangimento de ver seu trabalho recusado. É importante lembrar que, como em qualquer ramo profissional, há editoras prestadoras de serviços que trabalham muito bem e há as que são apenas oportunistas. Por essa razão, deve-se ter cautela na escolha, ficar atento, perguntar, conversar, pedir para ver trabalhos já publicados. É fundamental que você sinta confiança no profissional que está contratando. Como dizia Fernando Sabino: “A relação entre o escritor e o editor é, principalmente, de confiança”. Uma das principais vantagens que a Editora Livre Expressão oferece na edição e publicação do seu livro é que você acompanha todo o projeto de confecção do seu livro, desde a revisão, layout das páginas, escolha das fontes (letras), elaboração da capa, ou seja, nada será impresso sem que você dê a palavra final. Isso nos tem proporcionado um índice de 100% de satisfação entre os nossos clientes. (Ver depoimentos)

Desvantagens de uma editora prestadora de serviço

Uma das desvantagens é que o público, de forma geral, tende a achar que publicação de livro, de autor independente, é uma obra amadora. Isso se deve muito mais à questão do acabamento e do projeto malfeito do livro e, às vezes, por o livro não ter o selo de uma editora. A Editora Livre Expressão elimina facilmente esse problema, fazendo um livro com qualidade de mercado, porque entende que a sua obra não é para ficar ocupando espaço no seu armário ou embaixo da sua cama. Alguns novos autores consideram o fato de ter de pagar como uma desvantagem. Vemos nisso muito mais que um investimento, como uma poupança ou qualquer outra aplicação financeira, com a diferença de que, dependendo do trabalho feito para divulgação e venda do livro, o ganho do autor é centenas de vezes maior do que qualquer aplicação financeira em um mesmo período. além disso, há o prestígio que o fato de ser autor de um bom livro publicado pode te dar, o que,sem dúvida, abre novas portas no seu campo profissional. Vale lembrar que qualquer bom editor sabe que o futuro de um livro é sempre uma grande incógnita.

Editoras “prestadoras de serviço” II

Essa é uma nova variante de editora “prestadora de serviços” que está por aí. Ela propõe o seguinte: Você a contrata para fazer o seu livro, paga e depois ela fica com a metade, ou mais, da edição, há algumas que ficam com até 70%, deixando 30% para o autor, ou seja, ganham nos dois lados, um para fazer o livro e o outro para vender o livro que o autor financiou. Alguns anos atrás, um autor cotou conosco e com outra editora a edição do seu livro, ele nos informou que o nosso preço estava R$ 300,00 (trezentos reais) mais caro, apesar de ter gostado muito da apresentação do nosso trabalho; Esse valor correspondia a uma diferença de 2 a 3% do custo da publicação, conversando, ele deixou escapar que a outra editora ficaria com a metade da edição para vender em benefício próprio. Espantado, informei: “Ora, então o meu preço não está mais caro, pelo contrário, está praticamente a metade do preço da concorrência, pois eu iria entregar 1.000 livros, enquanto o outro cobraria quase a mesma coisa e entregaria 500″. Há quem aceite este tipo de negócio.

2) Editoras comerciais

O primeiro procedimento do escritor, e mais comum, é a procura por uma editora comercial, de preferência grande e famosa para edição e publicação do seu livro. Infelizmente, pelos relatos que temos recebido dos escritores durante estes anos de atividade editorial, há uma certa frustração, decepção e, mesmo mágoa em relação a essas editoras. Isso porque, na prática, a impressão que os novos escritores têm é de que as editoras não dão, como deveriam, importância ao seu trabalho, principalmente por serem pouco conhecidos ou mesmo desconhecidos do grande público.

Geralmente, essas editoras ficam de seis meses a um ano, e até mais tempo, para avaliar o original e quando o seu autor vai buscá-lo, é comum ouvir a desculpa de que foi perdido, ou seja, houve perda de tempo e de expectativa.

Vantagens de uma editora comercial

A vantagem de um autor publicar seu livro por uma editora comercial é que ele não precisa pagar os custos de edição e publicação do livro e nem se envolver com a comercialização, além de ganhar um certo “prestígio”.

Desvantagens de uma editora comercial

O outro lado da moeda diz respeito à forma como uma editora comercial funciona. Para se ter uma ideia, ela tem centenas e centenas de autores para publicar e, geralmente, não possui dinheiro para publicar todos eles, por isso precisa fazer uma seleção rigorosa. Na prática, é bem difícil ser escolhido por uma editora comercial, salvo se o autor for algum “figurão” da sociedade ou apresentador de televisão porque, neste caso, ela sabe que terá publicidade do livro de graça. A publicação de livro, dessa forma, é vantajosa para as editoras, mas não para os novos autores que não detem tanta visibilidade. Outra desvantagem é que, por essas editoras assumirem todos os custos, o autor não dará o menor palpite sobre como ficará o seu livro. É claro que as editoras comerciais contam com profissionais competentes, mas acontece que os autores nem sempre ficam satisfeitos com o resultado. Esses profissionais são envolvidos por uma série de livros para produzir mensalmente, com prazos, muitas vezes, curtos, e pressionados pela editora para produzi-los dentro de determinado tempo. Isso os leva a não dar a atenção e dedicação; devidas a você e a edição e publicação do seu livro. Outra desvantagem da editora comercial é que todo o processo de comercialização e de marketing fica sob o controle dela, e aquela boa livraria, perto da sua casa, geralmente, não pode comprar o seu livro porque o vendedor não consegue chegar lá. Esta mesma falta de controle pode estender-se à divulgação do livro ou mesmo a uma reedição. Quanto ao ganho, você terá no máximo 10% sobre o preço de capa, pode parecer pouco, mas é isso mesmo. Infelizmente, ainda há aqueles editores que não agem com lisura em relação ao pagamento desse percentual aos os seus autores.

3) Por conta do próprio autor

Esta opção é do tipo “faça você mesmo”. Nós a consideramos a pior escolha. É verdade que o autor pode até economizar uns trocados com esta opção, mas vale lembrar que ele terá de contratar, pelo menos, meia dúzia de profissionais para fazer o trabalho de edição e publicação do livro.

Vantagens em fazer por conta própria

Neste caso, a vantagem é idêntica àquela de quando nos propomos a fazer uma mesa para nossa cozinha, sem entendermos nada de marcenaria. No final, depois de algumas marteladas nos dedos, ficamos até meio orgulhosos com o feito, mas se levarmos essa mesa para vender, é provável que poucos se interessem em comprá-la. Assim ocorre com esse tipo de “publicação de livro”, mas, como em tudo na vida há suas exceções, pode ser que alguém tenha conseguido um bom resultado editando o seu livro dessa forma, mas não é o que temos visto ocorrer com a publicação de livros por conta própria.

Desvantagens em fazer por conta própria

Para a edição e publicação do seu livro, você terá de procurar e contratar diversos profissionais: capista, diagramador, revisor, fornecedor de papel, gráficas, encadernadores, etc. Nessa cadeia de produção, basta que um profissional não tenha feito um bom trabalho para que o produto final ― o seu livro ― que por certo lhe custou anos de pesquisa e dedicação para escrever, fique com a qualidade comprometida. Além de ter de providenciar ISBN, ficha catalográfica e outros itens que compõem o livro. Isso pode te custar algumas dores de cabeça. Temos ouvido relatos de vários autores que se aventuraram por esse caminho em que aborrecimentos, prejuízos e arrependimentos são bem comuns. Sem esquecer do tempo que você vai gastar com tudo isso. Na ponta do lápis, “publicar um livro”, dessa maneira, considero essa opção a mais cara. Para que você tenha uma ideia, publicar um livro, dos originais até o livro pronto, há quase 80 itens de produção que devem ser acompanhados individualmente.

Conclusão

Procuramos dar a você informações que consideramos essenciais para ajudá-lo a escolher a melhor opção para a edição e publicação do seu livro, esteja ele pronto ou ainda em fase de projeto. Para nós, o mais importante é que seu livro possa ser publicado, porque acreditamos que o nosso povo e o nosso país precisam de livros, cultura e informação. Como dizia Monteiro Lobato:”Um país se constrói com homens e livros.” Para solicitar seu orçamento, clique aqui!